julho 29, 2016

OS ANOS 90 ESTÃO DE VOLTA (E NÓS AMAMOS!)


É inegável, o processo criativo de moda vive de releituras históricas. Podemos usar como exemplo o estilo dos anos 1960, que foi uma reinterpretação da moda de 1920. No contexto atual, não é mais possível passarmos quase dez anos vivendo uma uniformização da sociedade, como ocorreu nesses períodos, essa prática teve fim entre o final de 1980 e o início de 1990. Esse período marcou a liberdade de expressão e o fim de conceitos e preconceitos sobre o que vestir. O desconstrutivismo, que como o nome sugere caracterizava-se como uma desconstrução das roupas - assimétricas, sem estrutura e acabamento e tecidos desconstruídos -, representado por designers como Issey Miyake, Rei Kawakubo e Martin Margiela também foi um grande influenciador na definição das características da moda do final do século XX. 

Em 1990 o sexy, o grunge e o minimalismo coexistiam. Várias marcas revisitam o estilo de moda dessa época desde 2013 e há algum tempo ele ensaiava seu retorno. O fim de 2015 e até esse momento de 2016 marcam uma avalanche de ícones da década, para onde olhamos, lá está alguém usando alguma coisinha que nos anos 90 fez muito sucesso.


Drew Barrymore |  Kate Moss em setembro de 1991 em editorial

Choker

Entre 2014 e 2015 marcas como Carven e Chanel apostaram nas chokers. Em meados de 2015 as tattoo chokers, aquela gargantilha preta trançada que muita gente, inclusive eu, usou nos anos 90, era a queridinha das “cool girls” pelo mundo. Em julho fui para a Califórnia e muitas meninas estavam usando, até mesmo versões coloridas. Muita gente torceu o nariz de início, mas logo mudou de ideia pois variações começaram a aparecer: couro, cetim, veludo, metal... Agora encontramos chokers de diversos modelos e materiais, inclusive improvisadas com lenço ou bandana, que é outro item que veio diretamente dos anos 90 para o século XXI.




Naomi Campbell e Kate Moss | SPJ em 1997


Slip Dress 

Com perfume boudoir o slip dress foi um grande ícone dos anos 90, adorado por personalidades como Kate Moss, Victoria Beckham e Sarah Jessica Parker. Em 2013 Marc Jacobs na Louis Vuitton fez um desfile inspirado em lingeries no qual os slip dresses apareceram em três comprimentos. Em setembro passado, o Spring 2016 ready-to-wear da Givenchy também teve a mesma temática e assim, vimos a tendência chegar ao posto de peça super desejada.  A revista Vogue Brasil considerou o Slip Dress como “A Peça de 2016”, aparecendo não só como vestido-camisola, mas em modelos minimalistas, boho e até mesmo glam.

A cantora, já falecida, Aaliyah em uma campanha para Tommy Hilfiger | Tyra Banks de moletom Calvin Klein nos anos 90

Logo Mania

Eu nem era nascida, mas sei a importância que os anjinhos da Fiorucci tiveram na moda. Entre os anos 80 e 90 era considerado cool ter a marca estampada em alguma peça de roupa. Hoje logomarcas sofrem muita implicância e são sinônimo de “cafonice”, mas saiba que estes dias estão contados pois a popularidade delas está de volta com força total! A Gucci já investiu, Versace, que é símbolo dos anos 90, também, sem mencionar a Moschino que é outra referência da década e nunca abandonou a força de seu logo. Estejamos preparados!


Gianni Versace Autumn/Winter 1994 Campaign |  Spice Girls

Barriga de fora

Desde 2012 adotamos o cropped top. Lembro que quando ele apareceu torci o nariz, realmente acreditei que ninguém iria usá-lo. Eis me aqui, quatro anos depois falando sobre o tal. A peça não é originaria dos anos 90, mas foi nessa década que as Spice Girls influenciaram várias adolescentes, levando a blusa ao status de peça da moda. Os croppeds atravessaram várias estações, isso me faz crer eles não sairão de cena tão breve. Inicialmente acompanhavam peças de cintura alta e hoje muitas mulheres arriscam mostrar o umbigo. Ainda não tenho coragem para tanto e acho que nunca terei, mas isso é o que veremos!


"I I'll tell you what I want, what I really really want..."

Wedges

Também por influência das Spice Girls, as plataformas se tornaram objeto de consumo entre as garotas jovens dos anos 90. O grupo adorava botas e tênis altíssimos. Pulando para o século XXI, as plataformas estão vivendo seus 15 minutos de fama novamente.  Os tênis e sandálias Flatforms andam fazendo a cabeça das fashionistas e mesmo quem não se interessa muito por moda acaba simpatizando. É aquele típico item que de início causa estranheza, mas depois a gente se acostuma e acha lindo!

As Flatforms aparecem em grandes coleções, como Prada, em um Brogue super copiado, Chanel, Dior e Stella McCartney – meu modelo preferido! –, desde 2014. Além dos tênis e sandálias, temos as botas com meia pata e salto altíssimo. Essa ainda é uma tendência, acredito que será forte no inverno do hemisfério norte e chegará aqui em 2017. Demna Gvsalia, a mente por trás do furacão Vetements e, há pouco tempo, da Balenciaga, desenvolveu botasaltíssimas em ambas marcas. Marc Jacobs já apostou nelas algumas vezes e na coleção de inverno repetiu a dose. Seriam as botas plataformas o novo  “over the knee”? Espero muito que sim!


Kurt Cobain em editorial para a Vogue por Jesse Frohman | O último editorial do cantor por Yuri Lenquette

Alicia Silverston em As Patricinhas de Beverly Hills, 1992 | Penélope Curz em 1994 para Sassy Magazine

Grunge

O Grunge surgiu no fim dos anos 80, muitos dizem que por influência de Neil Young, e explodiu na década seguinte. O estilo originou-se em Seattle e bandas como Pearl Jam, Alice in Chains e Nirvana, mesmo sem pretenderem a fama e lançar tendências, influenciaram jovens e adolescentes da época com a maneira descompromissada de se vestir e letras que assumiam tom pessoal.  Era uma negação ao consumismo e artificialismo, a palavra Grunge inclusive significa algo como “sujo”.  

O modo de se vestir de Kurt Cobain e da turma grunge privilegiava roupas de segunda mão, jeans rasgado, remendado, camisas de flanela xadrez, gorros e cardigans. As meninas usavam slip dresses, geralmente com motivos florais e coturnos pesados. Nessa época também se usava camiseta sob vestido, outra composição que trouxemos para 2016. O fato de as roupas serem compradas em brechós fazia com que, muitas vezes, fossem maiores que o tamanho correto, seguindo a linha Oversized que novamente está em alta.

Marc Jacobs em 1992 trabalhava para a marca Perry Ellis, nesse ano ele desenvolveu uma coleção inovadora inspirada no Grunge, mas pela novidade foi um desastre comercial. Nesse ponto o estilista se mostrou como um visionário e até hoje usa traços grunges para criar. Várias coleções do Fall 2016 Ready-to-Wear - Alexander Wang, Rochas e o próprio Marc Jacobs - utilizaram o grunge como referência.


Tyra Banks | Cena da série Full House


O novo Jeans

O denim nunca esteve, e dificilmente um dia estará, fora de moda, mas as peças desenvolvidas com ele podem sim ter seus momentos duvidosos. Saia jeans e jardineiras, por exemplo, já passaram por dark days, mas eram hit em 1990 e são adoradas por nós em 2016.  Atualmente encontramos patchwork jeans, jeans com patches e diversas outras intervenções, tudo isso sempre existiu, mas neste momento olhamos com mais interesse.

Aproveitando essa onda, a tendência denim mais forte do momento é conhecida como Mom’s Jeans. Aposente sua skinny pois a modelagem tem corte é reto e cintura alta. Super cool e confortável!



O texto ficou um pouco extenso, mas estamos vivendo um revival tão forte da década de 90 que ainda assim precisei optar por dar preferência aos itens mais populares hoje, deixando alguns de lado. Realmente adotamos muitas, muitas coisas!

O que acho mais engraçado quando olho as roupas dos anos 90 é a salada de estilos. Tem o exagero cafona e o extremo luxo misturados ao conforto sporty e minimalismo, aí me pergunto: não é isso que fazemos até hoje? Isso comprova que, de fato, a década de 90 foi o último suspiro do que podemos chamar de criações legitimas, tanto na moda quanto na arte, prova disso é que não tivemos mais movimentos de moda de subculturas nem movimentos artísticos em torno de ideias em comum. O que temos hoje é uma extrema liberdade de expressão na hora de criar e se vestir que permite que estilistas e artistas sejam individuais, bem como os consumidores de suas criações. Um querido professor meu acredita que na fase em que estamos, tudo já foi inventado. Concordo com ele e questiono até que ponto gostaríamos de manter essa liberdade. Como será em 15 anos? Continuaremos sendo todos individuais ou os sofrimentos do mundo, em virtude de tanta violência, terrorismo e intolerância, fará com que precisemos juntar nossas forças e nos uniformizarmos novamente como era a uns 60 anos atrás? É um ponto para refletirmos.


Bita

MEU LOOK - Nº 1


Para estrear os posts, um "look do dia"! Mostrar minhas produções aqui será encarado como um exercício de criatividade e auto desafio. Já enfrentamos barreiras todos os dias, por que também pisar em ovos na hora de se compor uma produção? O processo de se vestir deveria ser encarado por todos como uma válvula de escape e esse será meu objetivo. Espero poder quebrar paradigmas e evoluir meu estilo, inspirando todos os leitores deste site a se arriscarem mais junto comigo. Imagens valem mais que mil palavras na hora de inspirar por isso, vamos ao que interessa!

Gosto muito do comprimento midi, mesmo ouvindo que não favorece pessoas baixas procuro não me limitar com regras do que devo ou não usar. O importante é gostar do que vestimos e isso pode acontecer com roupas que nos valorizam 100% ou não. Prezo isso sempre!

A modelagem midi reta adiciona personalidade à qualquer produção básica e caminha por vários estilos. A escolha do sapato ajuda muito a definir tal transição. Neste caso usei com tênis flatform e falando em tênis, estou vivendo um vício! A moda investe cada vez mais no conforto, logo os modelos disponíveis se superam em beleza e estilo a cada temporada. Sempre que vejo alguém usando-os sinto que transmite personalidade e conforto, o que é ótimo, certo!? Para quem não abre mão do salto, sandálias de tiras finas são certeiras, também adoro com bota de cano alto e salto fino, apesar de ainda não ter testado. 







Fotos: Gustavo Gandiozo

Body - Bo.Bô  |  Saia - Egrey  |  Tenis - Prada  |  Brinco - Camila Klein  |  Riviera - Gypsy Brasil  |  Bolsa - Gucci




Bita